Conselho Regional de Farmácia

De Mato Grosso do Sul

Manifestação pela atualização da tabela SUS em análises será dia 5 de agosto

No caso específico das análises clínicas, os preços praticados são incompatíveis com a qualidade da assistência merecida pelo cidadão usuário

Profissionais e entidades ligadas à área de análises clínicas de todo o País se reunirão em Brasília no dia 5 de agosto, às 15 horas, para uma grande manifestação organizada pelo CFF (Conselho Federal de Farmácia) em favor da atualização da tabela de preços de exames pagos pelo SUS.

“Os preços são os mesmos há quase 20 anos”, lembra o presidente do CFF Walter da Silva Jorge João.

A manifestação ocorrerá simultaneamente ao ato organizado pelo movimento Saúde + 10 que, na mesma data, apresentará à Câmara dos Deputados o anteprojeto de lei de iniciativa popular que propõe o repasse efetivo de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública. A expectativa dos organizadores do movimento é que o documento seja endossado por cerca de 2 milhões de assinaturas, 500 mil a mais do que seria necessário para sua apreciação no Congresso com o objetivo de alterar a legislação vigente e garantir a destinação de 10% dos recursos da União para a Saúde. Os 10% reivindicados significam cerca de R$ 43 bilhões a mais no orçamento anual da saúde.

“A revisão da tabela SUS para procedimentos de análises clínicas é considerada pelo setor uma necessidade urgente e o adequado financiamento do Sistema é uma condição fundamental para que isso ocorra”, observa o presidente do CFF.

No caso específico das análises clínicas, os preços praticados são incompatíveis com a qualidade da assistência merecida pelo cidadão usuário, salienta o coordenador do GT, Mário Martinelli Júnior, conselheiro federal pela Bahia. Jerolino Lopes Aquino, conselheiro federal suplente pelo Mato Grosso e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (Sbac) cita como exemplo o valor pago por um exame de glicose, R$1,85, que sequer cobre as despesas com a realização do procedimento.

Durante a plenária do CFF no último dia 25 de julho, o coordenador do GT pediu o apoio dos demais conselheiros ao movimento. Ele explicou que uma das estratégias já definidas para chamar a atenção para as reivindicações do movimento será o uso de camiseta e de um laço de fita preta pelos manifestantes.

“A proposta é envolver todas as instâncias que possam fazer gestão junto ao Ministério da Saúde pela rediscussão dos valores pagos aos laboratórios, o que vai garantir a sustentabilidade econômica-financeira e a qualidade desses serviços essenciais aos usuários do SUS”, reforça a também integrante do Grupo, Lenira da Silva Costa, conselheira federal pelo Rio Grande do Norte.

Será confeccionada ainda uma faixa de seis metros com a mensagem dos manifestantes ao governo federal. Os manifestantes se concentrarão em frente ao Congresso Nacional.